Portal IFNMG - Franceses conhecem sistema de produção e comercialização usado por agricultores familiares da região do Planalto Rural Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

Franceses conhecem sistema de produção e comercialização usado por agricultores familiares da região do Planalto Rural

Publicado: Terça, 27 de Fevereiro de 2018, 16h13 | Última atualização em Terça, 20 de Março de 2018, 14h00

A região do Planalto Rural tem um grande destaque no Norte de Minas, tanto pela forte tradição do trabalho no campo quanto pela riqueza de atividades agrícolas e não agrícolas com foco na produção de culturas saudáveis. Foi esse lugar que os franceses Antoine Kuhn, 19 anos, e Marie Parmentier, 22 anos, conheceram por meio de uma atividade organizada pela Pró-Reitoria de Extensão do IFNMG e sob a coordenação do servidor Rony Enderson de Oliveira, do Núcleo de Relações Interinstitucionais e Comunitárias da Pró-Reitoria de Extensão. Também participaram da ação o diretor de pesquisa do IFNMG, Vico Mendes, a servidora responsável pela mobilidade acadêmica no Instituto, Roberta Silva Santos, e a bolsista da Fapemig, que atua na Assessoria de Relações Internacionais do IFNMG, Gabriella Fonseca Dias.

Os intercambistas visitaram propriedades da comunidade de Planalto Rural e a Central de Abastecimento do Norte de Minas Gerais (Ceanorte). As duas propostas colaboraram para que os estrangeiros compreendessem a importância e o desenvolvimento do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), políticas públicas que proporcionam às famílias rurais maior autonomia, qualidade de vida, geração de renda e o fortalecimento das relações familiares.

Foto 3 Planalto Rura

Solo fértil para o conhecimento

A comitiva visitou hortas de chuchu, abóbora, jiló, quiabo, berinjela, alface, couve, brócolis e repolho. “Os franceses conheceram também o sistema de irrigação e o processo de trabalho nas hortas. Após a visitação nas hortas, eles ainda conheceram a unidade de beneficiamento que está sendo construída na propriedade do senhor José Maria com o intuito de beneficiar a produção excedente das propriedades”, disse Rony Enderson.

Para Marie, que tem formação na área de gestão de negócios, saber como funciona a produção agrícola numa escala menor, como é a agricultura familiar, servirá para que ela utilize as técnicas brasileiras na França. “É um aprendizado recompensador”, afirmou a intercambista.

Foto 2 Ceanorte

Completando a visita, os franceses conheceram a Ceanorte. “A ida à Ceanorte foi para que eles pudessem acompanhar o processo de comercialização tanto com os consumidores quanto com o governo federal. Tivemos o cuidado para que os franceses pudessem observar na Ceanorte os mesmos agricultores que foram visitados nas propriedades rurais. Assim, puderam entender todo o processo de produção e comercialização”, apontou Rony.

Marie e Antoine também aproveitaram a estada em Montes Claros e visitaram o Campus da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), o Mercado Municipal Christo Raeff e o Montes Claros Shopping Center. Ouro Preto, Lavras Novas, Taiobeiras, Belo Horizonte, Porto Seguro e a região de Pandeiros e Peruaçu também já entraram para a lista de lugares visitados pelos dois.

Parceria que está dando frutos

Marie e Antoine estão no Brasil desde dezembro do ano passado para realizarem trabalho voluntário junto à sociedade civil. Estão instalados no IFNMG-Campus Januária. O plano de trabalho envolve implantação e condução de hortas em asilos e escolas, como atividade terapêutica e de educação para idosos e crianças, respectivamente. Também está previsto que eles organizem um evento sobre segurança alimentar e alimentação saudável.

O intercâmbio dos franceses foi possível graças à parceria que o IFNMG mantém com o Ministério da Agricultura da França, o que fomenta o Programa Serviço Cívico, cujo objetivo é promover a integração social. O programa rege por um princípio motivacional, em que estudantes tornam-se voluntários para praticar ações de solidariedade tanto com a comunidade externa quanto com a comunidade acadêmica de uma instituição.

Os jovens que participam dessa missão recebem um incentivo financeiro do Ministério da Agricultura Francês. Já as instituições garantem alimentação e hospedagem. O programa tem ações recíprocas, ou seja, o IFNMG pode enviar estudantes brasileiros para a França e também pode receber alunos franceses no Brasil. Até hoje, sete alunos já foram beneficiados: um brasileiro e seis franceses.

Fim do conteúdo da página