Portal IFNMG - Gestores do IFNMG participam de reunião de Prefeitos em Pirapora Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

Gestores do IFNMG participam de reunião de Prefeitos em Pirapora

Publicado: Quarta, 22 de Fevereiro de 2017, 12h29 | Última atualização em Quinta, 09 de Março de 2017, 13h50
imagem sem descrição.

Diretor do Centro de Referência em Formação e Educação à Distância CEAD/IFNMG, Professor Antônio Carlos Martins, Pró-Reitora de Extensão, Professora Maria Araci Magalhães e a Diretora do Campus Pirapora, Professora Joaquina Aparecida Nobre da Silva, participaram no dia 20 de fevereiro de reunião de prefeitos, na sede da Associação de Municípios da Bacia do Médio São Francisco (AMMESF) em Pirapora.

A pauta do encontro foi o planejamento e discussão entre Comitê Federal da Bacia do Rio São Francisco (CFBSF), prefeitos e IFNMG, no sentido da união de esforços entre os diferentes atores da cidadania, para se pensar e propor alternativas que, possam viabilizar a revitalização da Bacia do Rio São Francisco no território mineiro.  Uma cerimônia de assinatura de um “Termo de Cooperação Técnica” está sendo organizado para o próximo dia 10 de março, com a expectativa da presença do Ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho.

O alerta foi dado em 2015, quando a represa de Três Marias atingiu 2,5% de sua capacidade. Dos 508 municípios, distribuídos nos 7 Estados que compõem a Bacia do Rio São Francisco, 240 estão localizados em Minas Gerais, inclusive a nascente em São Roque de Minas e, ainda, 72% das águas do Rio São Francisco em quantidade e qualidade também estão em Minas. Nesse sentido, o Rio São Francisco representa a capacidade hídrica dos mineiros, mas especialmente, da população impactada diretamente, ribeirinhos e pescadores que dependem simbolicamente e economicamente do Rio para viver.

A coordenadora do CFBSF, do alto São Francisco, Sílvia Freedman explica que papel do órgão é de atuar de forma autônoma e que o orçamento da entidade, cerca de 90 milhões/ano são provenientes da tributação pelo uso da águas pelos diversos usuários e, apesar, de não ser suficiente para toda a demanda, os recursos são revertidos em projetos hidroambientais e de saneamento básico dos municípios que integram a Bacia.  “As prefeituras podem solicitar, por ocasião de abertura do edital, ao CFBSF, a elaboração do projeto de saneamento ambiental, que custa em torno de 250 a 300 mil e a partir daí buscar junto ao governo estadual e ou federal os recursos para viabilização do mesmo”, explicou.

O diretor do CEAD/IFNMG, professor Antônio Carlos Martins diz que “o Rio São Francisco além de um patrimônio do Brasil e do Norte de Minas, faz parte da vida econômica, política e social da região e, que poder participar do planejamento de ações articuladas pela revitalização do mesmo é motivo de grande satisfação para toda a comunidade do IFNMG”. Na oportunidade, o diretor do CEAD/IFNMG falou da Educação à Distância como fator de inclusão social e dos cursos ofertados nessa modalidade pelo IFNMG e que vem representando uma fatia considerável do portfólio do Instituto.

pirapora1

A professora Maria Araci Magalhães, Pró-Reitora de Extensão relata que “o diálogo com as prefeituras, por meio das Associações de Municípios AMAMS e AMMESF representa novas possibilidades de o IFNMG continuar cumprindo sua missão institucional de promover a partir da oferta de educação gratuita e de qualidade, oportunidades de trabalho, renda e dignidade humana”, disse.

A diretora do Campus Pirapora, professora Joaquina Aparecida Nobre da Silva, colocou toda a estrutura humana e física do Campus a disposição do município de Pirapora e de toda a microrregião. “Estamos sempre buscando e desenvolvendo bons trabalhos e projetos, mas se aliarmos uns aos outros, podemos fazer muito mais”, finalizou.

O presidente da AMMESF, prefeito de Lagoa dos Patos, José Raul Reis, corrobora com as palavras da diretora e diz que “somente a força da união de esforços pode pactuar no próximo dia 10 de março, um amplo acordo de cooperação, mostrando a outras esferas de governos que estamos organizados em torno das prioridades da região, e, dentre as nossas prioridades está a garantia da segurança hídrica, ” argumentou.

Divulgação CEAD

Fim do conteúdo da página