Portal IFNMG - Obras do Campus Diamantina têm previsão de término no 1º semestre de 2017 Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

Obras do Campus Diamantina têm previsão de término no 1º semestre de 2017

Publicado: Quarta, 17 de Agosto de 2016, 17h04 | Última atualização em Quarta, 17 de Agosto de 2016, 17h10
imagem sem descrição.

“Um projeto que era só sonho, agora já é concreto”, disse o professor e diretor-geral do IFNMG-Campus Dimantina, Júnio Jáber. E ele tem razão. Já é possível ver os ambientes do Bloco Administrativo do Campus Diamantina, uma obra orçada em R$ 4.293.144,74 milhões e que corresponde a 3 mil m² de área construída.

Segundo o engenheiro responsável, Vilmar José da Silva Souza, a obra, que começou em janeiro deste ano, está na etapa de estrutura e gerenciamento de piso e contrapiso. Em seguida, será iniciada a fase de alvenaria, que consiste na construção de paredes. O engenheiro informa que, em seguida, serão feitos o chapisco e o reboco. Só ao término desses procedimentos, será iniciada a fase final: o acabamento.

“A previsão inicial de término da obra era janeiro de 2017, acredito que deve atrasar um pouco, mas vamos tentar recuperar para manter o cronograma sem atrasar muito”, explica o engenheiro. Mesmo assim, o reitor do IFNMG, José Ricardo Martins da Silva, garante que no ano que vem a obra será concluída. “As obras em Diamantina estão caminhando dentro do cronograma que planejamos apesar do momento atual. Estamos honrando com o compromisso. Todas as obras estão empenhadas e dentro do orçamento previsto. Se Deus quiser, no ano que vem, alunos e servidores estarão dentro do Campus próprio”, disse o reitor.

Obras 3

Perspectivas e expectativas

De acordo com o professor Paulo Marinho Oliveira, diretor administrativo do Campus Diamantina, os servidores e alunos que estão instalados em um prédio cedido pela Universidade Federal do Vale do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) ocuparação, inicialmente, os ambientes do Bloco Administrativo até que as demais estruturas fiquem prontas. “Segundo o plano diretor, a perspectiva é de que 10 mil m² sejam construídos na fase inicial de implantação do Campus, que é de 5 anos”, afirmou o professor.

A área total do campus é de 42 hectares, o que equivale a aproximadamente 42 campos de futebol. Desse total, 2 hectares são áreas de reserva ambiental.

Ainda há muito espaço para ser construído, mas o diretor Júnio Jáber não desanima. “Daqui a cinco anos, eu imagino esse campus com muitos prédios e muitos alunos. Porque o Alto Jequitinhonha precisa. Embora Diamantina seja uma cidade muito bonita, uma cidade histórica, é uma cidade também de muita exclusão, de muita probreza, de muita miséria. Há uma população negra e parda nas periferias que a gente precisa incluí-la através do processo educacional de transformação. Nos próximos cinco anos, nós esperamos fazer isso com execelência”, defendeu o diretor.

Fim do conteúdo da página