Portal IFNMG - IFNMG e UFVJM preparam Congresso de Inovação e Metodologias no Ensino Superior e Tecnológico Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

IFNMG e UFVJM preparam Congresso de Inovação e Metodologias no Ensino Superior e Tecnológico

Publicado: Sexta, 07 de Junho de 2019, 14h16 | Última atualização em Sexta, 07 de Junho de 2019, 14h55

O IFNMG, em parceira com a Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM), realizará o I Congresso de Inovação e Metodologias no Ensino Superior e Tecnológico, entre os dias 2 e 4 de julho, na cidade de Diamantina.

O evento traz como tema principal o estudo de novas estratégias de ensino e foi construído a partir da integração das duas instituições federais de ensino de graduação no norte de Minas Gerais, buscando a atualização docente, bem como o estímulo para a inserção de metodologias inovadoras na sala de aula. Com isso, segundo o pró-reitor de Ensino do IFNMG, Ricardo Magalhães Dias Cardozo, busca-se assegurar um melhor aprendizado por parte dos alunos, colocando-os como protagonistas do processo formativo, reduzindo os índices de retenção e de evasão no ensino de graduação e, consequentemente, ampliando os índices de eficiência.

Ricardo Cardozo explica que essa será uma preparação das duas instituições para participarem de um evento maior e muito tradicional da área, o Congresso de Inovação e Metologias no Ensino Superior, realizado pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). A data da próxima edição ainda não está definida, mas IFNMG e UFVJM já estão empenhados em criar uma agenda de discussão e em identificar experiências exitosas que possam ser compartilhadas e publicizadas durante a realização do Congresso da UFMG.

Os servidores do IFNMG estão convidados a participar da programação que acontecerá no início de julho, com oficinas, palestras e mesas-redondas. As inscrições devem ser feitas via formulário eletrônico. Os participantes também poderão submeter trabalhos para apresentação, por meio dos quais socializarão relatos de experiências vivenciadas, a partir das oficinas de Metodologias Inovadoras realizadas nos campi do Instituto, ou, ainda, resultados de pesquisas, na forma de artigos científicos sobre a temática do evento. A submissão de trabalhos pode ser feita até o dia 16 de junho. Os trabalhos aceitos serão apresentados oralmente, sob a forma de roda de conversa.

Adesão individual

“É importante esclarecer que, mesmo em face dos cortes e da suspensão de todos os eventos institucionais, levamos adiante os preparativos para o CIM interinstitucional, com aquiescência da gestão, devido à relevância do tema da inovação metodológica na prática docente e do baixo custo para o IFNMG”, esclarece o pró-reitor de Ensino. Segundo ele, ainda devido à redução do orçamento, a participação dos servidores interessados será por adesão individual, salvo em casos de acordos internos com as chefias, relativos às diárias e ao deslocamento.

Para aqueles que não tiverem a oportunidade de participar presencialmente haverá ainda a opção de acompanhar a transmissão das atividades, em tempo real, pela internet. “A UFVJM fará a transmissão do CIM, cobrindo a maior parte das atividades”, conta Ricardo Cardozo. O endereço eletrônico para acompanhar as transmissões será divulgado posteriormente.

Metodologias ativas

Quem for ao I Congresso de Inovação e Metodologias no Ensino Superior e Tecnológico em Diamantina terá oportunidade de participar de oficinas como a de Metodologias Ativas, a ser ofertada por Edna Guiomar Salgado Oliveira, professora de Didática e Fundamentos da Educação nos cursos de formação de licenciatura do IFNMG-Campus Salinas. A professora integra o Grupo de Estudos e Pesquisas Didático-Pedagógicos, com registro no CNPq, em que professores e alunos estudam as várias faces e fases da formação docente e seus desdobramentos didáticos pedagógicos na rotina escolar.

Guiomar explica que as metodologias ativas de aprendizagem tendem a considerar o estudante como o centro do processo. “Isso significa entender que os mesmos não são receptores passivos, mas que assumem responsabilidade pela construção de conhecimentos e, para isso, precisam ser estimulados, por meio de experiências de aprendizagem significativas, a terem um papel ativo”, explica a professora. Ela esclarece que a proposta não é nova, mas, nos últimos tempos, tem sido revisitada e reinventada. “Os estudos de John Dewey (1959), pautados pelo aprender fazendo em experiências com potencial educacional, convergem com as ideias de Paulo Freire (1996), em que as experiências de aprendizagem devem despertar a curiosidade do aluno, permitindo que, ao pensar o concreto, conscientize-se da realidade, possa questioná-la e, assim, a construção de conhecimento possa ser realmente transformadora”, afirma Guiomar.

A oficina terá como foco principal elaboração e vivências com metodologias ativas que possam ser utilizadas no ensino médio e superior, compreendendo a sala de aula como espaço dinâmico e criativo para aprendizagem. “Pretendo trabalhar com três oficinas de metodologias ativas: resolução de problemas, oficinas pedagógicas e painel integrado”, adianta.


Acesse a página eletrônica do I Congresso de Inovação e Metodologias no Ensino Superior e Tecnológico.

Fim do conteúdo da página