Portal IFNMG - Resultado final do Concurso Cultural “Arte em Casa” é publicado; conheça os trabalhos premiados Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
ptenfrdeites
Início do conteúdo da página

Resultado final do Concurso Cultural “Arte em Casa” é publicado; conheça os trabalhos premiados

Publicado: Quinta, 18 de Junho de 2020, 19h17 | Última atualização em Segunda, 29 de Junho de 2020, 07h57

Entre tantas estratégias para enfrentar o distanciamento social ocasionado por causa da covid-19, a arte teve e está tendo um lugar especial. Foi por isso que o IFNMG, por meio da Pró-Reitoria de Extensão (Proex) e da Coordenação de Comunicação, lançou em abril o Concurso Cultural de Produções Artísticas em Mídias Digitais “Arte em Casa”.

Muita gente aproveitou a quarentena para fazer arte. No total, foram 110 produções inscritas e validadas e seis vencedores, escolhidos pelos internautas. Os vencedores foram Júlia de Oliveira Fernandes, Kaio Henrique Teixeira Costa, Vitória Rocha da Silva, Ana Júlia Teles Baldaia, Gabriela Antunes Alves e Silvano Guimarães de Bessa.

“Acredito que o isolamento social representa um espaço muito rico em criatividade, autonomia e produção artística. Foi pensando nisso e em uma forma de alternativa de enfrentamento a este contexto em que vivemos, na atualidade, é que promovemos o concurso que, ao meu olhar, atendeu aos objetivos propostos”, destacou a servidora e idealizadora da ação, Santina Aparecida Ferreira Mendes, que é responsável pelo Núcleo de Atividades Sociais, Artísticas, Desportivas e Projetos Especiais da Proex.

Uma surpresa para os organizadores do Concurso Cultural “Arte em Casa” foi o quão longe o concurso chegou, ultrapassando as fronteiras de Minas. “Além da participação de integrantes das comunidades de abrangência do IFNMG, tivemos também a participação de pessoas de outros Estados, como Rio de Janeiro, São Paulo e Paraíba, fato que comprovou que essa modalidade de concurso e seu caráter virtual, de interação e de redes de comunicação, ampliou e diversificou os espaços de participação”, aponta a servidora Santina.

O lugar da arte

Santina comenta que as produções artísticas em mídias digitais, nas várias modalidades artísticas submetidas, bem como o acesso a elas, representaram uma importante estratégia de lazer, entretenimento, conexão e compartilhamento de experiências, sentimentos e afetos, além de terem fortalecido, socializado e despertado talentos. “As produções trouxeram mensagens de conforto, reflexão e, de certa forma, tornaram mais leves as pressões psíquicas e sociais”, afirma.

Para a servidora, a arte representa um importante espaço de diálogo, de lazer, de trocas de experiências, de livre exercício da criatividade, da cidadania ativa e de reflexões desafiadoras e de profundas aprendizagens. “Costumo usar uma frase do filósofo alemão Friedrich Nietzsche ‘a arte existe para que a realidade não nos destrua’. Acredito que a Arte pode nos oferecer força e coragem para enfrentarmos os desafios que esta nova realidade nos impõe. A arte, certamente, nos ajudará a fazer uma travessa mais tranquila, criativa, reflexiva, saudável, segura e confortável”, reflete.

Ações que valorizam arte e cultura continuam

De acordo Santina Aparecida, a Pró-Reitoria de Extensão do IFNMG, através do Núcleo de Atividades Sociais, Artísticas, Desportivas e Projetos Especiais, pretende continuar desenvolvendo ações, como essa do concurso, por exemplo, que visem à promoção e ao fortalecimento das atividades artísticas e culturais. “Constitui-se uma de nossas tarefas promover projetos e ações extensionistas, cujos objetivos sejam os da valorização e fortalecimento das Artes como forma de aprendizagem, entretenimento, socialização, reflexão, intercâmbio e melhoria da qualidade de vida das comunidades de abrangência do IFNMG”, defende a servidora.

Santina aproveita a oportunidade para destacar projetos que já existem e que têm esse preceito de valorização da arte da cultura. Há o projeto de demanda induzida nominado Festival Intercampi de Culturas: Encantos dos Vales, Montes e Sertões, desenvolvido desde o ano 2017, que se constitui numa mostra intercampi de artes, culturas e manifestações folclóricas do IFNMG. O projeto é coordenado por servidores em todos os campi auxiliados por discentes bolsistas ou voluntários.

Ela relata que outra ação de destaque foi a criação, neste ano de 2020, do projeto “Mapa das Culturas do IFNMG” enquanto proposta também de demanda induzida. A ideia é implantá-lo em todos os campi tão logo a situação se normalize. Esse projeto é uma ampliação do “Mapa da Cultura do Vale do Mucuri”, já desenvolvido e coordenado pelo professor do Campus Teófilo Otoni Yuri Bento Marques; o objetivo desse projeto é identificar, organizar, mapear e cadastrar em uma plataforma on-line agentes, eventos, espaços e projetos culturais da região de abrangência do IFNMG.

“Desse modo, é nossa proposta é continuar ampliando e fortalecendo nossas ações de forma dialogada com toda a comunidade, de modo geral e, de modo especial, com todos os professores de Artes do IFNMG e com os nossos artistas, apreciadores e fazedores de artes e culturas de nossa região”, enfatiza Santina.

Com a palavra, as vencedoras e os vencedores
(Clique nas imagens para acessar os trabalhos) 

Ana Júlia Teles Baldaia (Categoria: VÍDEO - Artes integradas)

Julia"Eu decidi participar desse concurso cultural pelo meu amor à arte, é um excelente meio de expressão. Com ela chegando às pessoas, eu espero fazer a diferença. Eu amo cantar e dançar e quando ouvi que havia uma oportunidade como essa eu fui. A arte é uma excelente maneira de levar uma mensagem até as pessoas, a arte se conecta com a alma. E a mensagem que eu quis passar com meu vídeo foi a de que devemos ter esperança e ver luz em meio à escuridão. A arte transparece a alma".

 

Gabriela Antunes Lopes (Categoria: VÍDEO - Artes cênicas)

Gabriela"Muito feliz em ter participado e ainda mais em ser premiada! Não esperava ser premiada porque havia outras artes muito incríveis e que também passam lindas mensagens. Meu vídeo para o concurso explora a necessidade de mais empatia e amor pelo planeta Terra inteiro, tanto pela flora quanto pelos seres que nela habitam. Hoje estamos enfrentando uma crise devido à pandemia causada pela covid-19 e, no passado próximo, enfrentamos vários outros desafios ocasionados pelo desenvolvimento humano não sustentável, como exemplo os que citei no vídeo SOS Planeta Terra. Todos esses acontecimentos são reflexos da sobrecarga da exploração humana sobre a natureza e por isso o planeta Terra pede socorro".

  

Júlia de Oliveira Fernandes (Categoria: IMAGEM - Artes integradas)

Tenis"A arte me ajudou preenchendo o vazio causado por esta pandemia. Ela é o remédio para a solidão e o vazio. Quando estou pintando, a arte me leva para outra dimensão, construída por esperança e feita de consolo. Durante esta pandemia, as pessoas deveriam transformar as aflições, os medos e a preocupação em arte. Ela não traz cura para a covid-19, mas cura as pessoas".

 

 

Kaio Henrique Teixeira Costa (Categoria: IMAGEM - Artes visuais)

Kaio"O Concurso Cultural "Arte em Casa" me deu a chance de mostrar para várias pessoas o meu potencial artístico. Foi uma ótima forma de interagir com as pessoas e me fez enxergar o quanto apoio e admiração eu posso ter com o meu trabalho. Fico muito feliz e agradecido por ter sido premiado e espero que isso abra várias portas a todos os artistas que participaram".

 

  

Silvano Guimarães de Bessa (Categoria: VÍDEO - Música)

Bessa“A arte representa para mim uma forma de expressar diversas sensações, emoções, uma terapia, equilíbrio mental, análises e interpretações do mundo, interno e externo, e espiritual também. Eu tenho uma relação muito íntima com a arte, para mim é uma religião, porque fortifica o meu espírito, eu me encontro através da arte, ela é o meu equilíbrio. Diante de tantas situações que nos deixa inconformados, desesperados, impacientes e impotentes, como por exemplo a pandemia, a arte nos proporciona leveza, alegria e equilíbrio para enfrentarmos a realidade que estamos vivendo”.

 

Vitória Rocha da Silva

Vitoria"Para produzir o poema, eu busquei a junção de todas as sensações que até o presente momento me foram causadas pela pandemia. Então, ao gravar o vídeo, deixei que elas pudessem falar por mim por meio da poética das palavras. Espero que quem tenha acesso a "Pouso Isolado" voe em direção a "cada uma de suas melhores lembranças" - mas certamente sem sair de casa - e perceba não só o valor delas, mas também de quem as proporciona. Estou muito feliz com o resultado e grata por todos aqueles que me ajudaram de algum modo a conquistá-lo".

Fim do conteúdo da página